Joaquim Pessoa

Segunda Edição - Ano Comum





Joaquim Pessoa: Ano Comum: 2ª edição brevemente, pelas Edições Esgotadas

 

Dia 189

 

Todos os dias celebro o canto por haver. O canto que louvará as tuas mãos movendo-se nos livros, nas cerejas, nos peixes, na água adormecida.

O canto que transformará as coisas e se transformará com as coisas, o canto que é um princípio definitivo, um fim por antever e registar, como a terra que busca libertar-se pelo interior das árvores.

Todos os dias celebro o coração do homem, o coração do pássaro, e o coração do pássaro no coração do homem.

Todos os dias me visto com as razões do vento, com a luz das oliveiras, com a prolongada dor daqueles que se sentem esgotados, traídos pela esperança, com a melancolia dos que já não esperam nada.

Todos os dias celebro a raiz do fogo, o corpo do desejo, a respiração dos amantes, o leite das fêmeas, a satisfação das crias.

Todos os dias me entrego aos vivos e aos mortos, todos os dias procuro em mim as cicatrizes do corpo de um planeta angustiado e, em cada dia me procuro merecer.

Todos os dias olho o deve e o haver. Faço o balanço da vida, e daquilo, e de quem, a determina e condiciona.

E vejo o melhor no seu pior.

 

in ANO COMUM

(2ª Ed. a publicar em setembro

pelas Edições Esgotadas)