Joaquim Pessoa

Dia 245.





Um osso de cuco pode sobreviver ao tempo infinito. Mais: pode condicioná-lo. Um osso de cuco pode até redimensionar o universo. Para isso basta que, fora do cuco, mas não fora da vida, exista. A sua leveza interferirá no simples mas complicado julgamento que o cosmos faz das insustentáveis levezas, durante inusitadas transferências de matéria para o universo das ideias que, antes dela teriam sido, como diria Ungaretti, o inexprimível nada.
Um osso de cuco podendo ser, por tanto, quase tudo, é, no entanto, quase nada. Mas o mesmo pode não se passar com o sussurro, ou o beijo, ou a constipação ou até mesmo a inflorescência da glicínia. É por isso que, tudo, tem a importância que tem, como diria, neste caso, La Palice.

*
in ANO COMUM
(2.ª Ed. em setembro,
por Edições Esgotadas)